A conquista do Bond.

Publicado por Quinta do Sol a

Este é o Bond.

Um Golden Retrivier de 8 anos, hospede frequente na Quinta do Sol.

A principio ele olhava-me com ar desconfiado. Ele tem aquele ar de “gente”, e sabe bem pôr-nos no nosso lugar, do género, “não te conheço de lado nenhum por isso não me contraries que eu mordo”.

Uma vez lembro-me que após o passeio, quando ele tinha que regressar ao canil, eu chamava-o e ele nada…então decidi colocar-lhe uma trela e incentiva-lo a vir comigo ao qual ele me respondeu com uma valente rosnadela. Isto foi ao principio. Hoje em dia criámos uma excelente relação…

O que ele não gosta é de ser contrariado, eu respeito! Mas também sinto que ele me respeita. Se eu digo “Bond vamos para dentro”, ele vem pois sabe que assim que entra vai ser massajado nas costas como ele tanto gosta e ser recompensado com um biscoito ou mesmo um bago de ração!

Para mim está é uma historia de sucesso que vivi e que confirma que “não há cães maus, há relações menos boas”. E os cães merecem ser compreendidos.

Actualmente eu e o Bond entendemo-nos na perfeição e gostamos muito um do outro. Por motivos de obras em casa, ele está ao nosso cuidado há mais de 1 mês e meio e cada dia se torna mais criativo e nos aproximamos mais um do outro.

É lindo o Bond…

Vanessa

 

 

Tags:

Gostou? Partilhe!

3 comments on “A conquista do Bond.

  1. Dina Moreira on said:

    É o meu Bond! O cão mais lindo do mundo, mimado e muito “estragado” pela dona… Obrigada Vanessa, obrigada a toda a equipa da Quinta do Sol que tão bem têm tratado dele… e do Robin!:)
    Beijos para todas!
    Dina

  2. Paulo Telheiro on said:

    E eu sou o rapaz que atura o “cara d’homem”, o cão mais mimado do Mundo e arredores. Os seus ares de Patrão irritam qualquer mortal que não tenha sido mordido pelo bicho da dependência irremediável. Mas – falando mais sério – é um prazer determo-nos a analisar a que ponto chega a personalidade de um ser, vivo como nós.

  3. Eu conheço o Bond desde que veio para a dona, e ele conhece-me e bem. É tal e qual o que a Vanessa descreve. Pois é… por causa das obras também já tenho saudades dele. Mas sei que está bem. Uma festa ao Bond

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

HTML tags are not allowed.